sábado, 7 de outubro de 2017

Prestações atrasadas: posso perder meu imóvel?

Ao assumir o financiamento de um imóvel, é sempre bom ficar atento às regras que essa compra irá trazer, bem como os juros, taxas e também as implicações que podem surgir com os atrasos de parcelas de um imóvel. Confira abaixo a resposta para a pergunta que não quer calar: posso perder meu imóvel com prestações atrasadas?




Antes de assinar o contrato de compra ou financiamento é bom analisar todos os valores que serão cobrados durante o processo. Identificar se os custos cabem no seu orçamento e até mesmo se irão consumir também as suas economias, para que assim faça uma compra segura e sem riscos. Esteja atento aos prazos estipulados em contrato e também as despesas casuais inesperadas que poderão surgir no caminho, como perda de emprego ou problemas de saúde, que talvez force o abandono da aquisição. Até certa etapa é possível evitar o prejuízo em caso de desistência da negociação, mas se você avançar numa transação que corre o risco de não se concretizar pode não recuperar totalmente o valor investido ou pior, desperdiçar o valor aplicado e ficar sem a casa que tanto sonhou adquirir.

Aprenda a reduzir gastos do condomínio



Encontrou o seu Apto e não sabe como decorar ? confira 17 dicas


1. DEIXE O LOCAL SEMPRE ILUMINADO

2. USE O TRUQUE DOS ESPELHOS

3. DISTRIBUA PONTOS DE LUZ NOS CÔMODOS

4. ADOTE PRATELEIRAS FLUTUANTES

5. USE AS QUINAS

6. AUMENTE AS SUAS JANELAS COM UM TRUQUE DE ÓTICA

7. COMBINE A COR DE SUA CORTINA COM A COR DE SUAS PAREDES

8. USE MÓVEIS MENORES

9. OPTE POR PEÇAS SUSPENSAS

10. DECORE COM OBJETOS QUE EXERÇAM MÚLTIPLAS FUNÇÕES

11. APROVEITE AS GAVETAS E PRATELEIRAS

12. FAÇA COM QUE SEUS MÓVEIS SEJAM MÓVEIS

13. ADICIONE GREENERY À SUA CASA

14. USE AS PAREDES COMO DISPLAYS

15. AFASTE OS MÓVEIS DAS PAREDES

16. ADICIONE LISTRAS VERTICAIS

17. USE OS PRINCÍPIOS DO DESIGN ESCANDINAVO

De tendência à realidade: como aproveitar a onda dos apartamentos compactos

De tendência à realidade: como aproveitar a onda dos apartamentos compactos


Quem está à procura de um imóvel para comprar já percebeu que a metragem das novas unidades encolheu. Atualmente, é possível encontrar apartamentos de 40, 20 e até 10 metros quadrados! O que parecia tendência virou realidade, principalmente nos grandes centros urbanos.
Para você ter uma noção, os apartamentos com menos de 45 metros quadrados já representam 42,6% de todas as unidades lançadas no primeiro semestre deste ano, segundo dados do Secovi-SP. Em 2011, a relação era de menos de 15%.
Esse movimento de apartamentos compactos tem a ver com uma série de fatores. Aqui, podemos destacar o novo comportamento da população brasileira que está casando cada vez mais tarde. De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a idade média para o casamento no Brasil é de 30 anos para as mulheres e de 33 anos para os homens.
Demorando mais tempo para formar família, as pessoas saem da casa dos pais para morar sozinhas. Na prática, isso significa que elas não precisam de mais de um dormitório para viver.
Se você é corretor de imóveis e quer aproveitar a onda dos apartamentos compactos, é preciso prestar atenção a alguns detalhes. Confira:
Perfil do público-alvo
Antes de mais nada, é importante entender qual é o perfil das pessoas que se interessam em comprar ou alugar um apartamento de um dormitório. Assim, você consegue identificar os canais para divulgar os imóveis e, principalmente, a melhor forma de abordá-los.
Em primeiro lugar, podemos falar dos jovens, normalmente estudantes, que buscam o seu primeiro imóvel. De modo geral, eles dão preferência para apartamentos localizados próximos à sua universidade.
Os profissionais consolidados no mercado, mas que ainda não construíram uma família, também se interessam por apartamentos compactos. Como eles passam mais tempo fora de casa – basicamente no trabalho –, não há necessidade de um espaço maior para morar.
Por fim, é possível citar os investidores iniciantes. Por conta do valor mais baixo, os apartamentos compactos viram alvo de quem está começando a investir no mercado imobiliário.
Benefícios para os moradores
Como adiantamos acima, os apartamentos de um dormitório se concentram em regiões centrais das grandes cidades, ou seja, próximos a áreas comerciais e de universidades. Então, este é o primeiro benefício dos moradores: eles não perdem tanto tempo se locomovendo da casa para o trabalho/estudo e vice-versa.
Para compensar a falta de espaço dos apartamentos, as construtoras investem em áreas compartilhadas entre todos os moradores. Nesse sentido, os moradores podem lavar suas roupas nas lavanderias do prédio, bem como trabalhar nas salas equipadas com Wi-Fi. Tratam-se de serviços semelhantes aos encontrados em hotéis e flats.
Com um espaço mais compacto, manter apartamentos de um dormitório limpos e organizados demanda menos tempo. É uma ótima vantagem para quem passa o dia inteiro fora, trabalhando ou estudando.
Vantagens para investidores
Além de não precisar de muito capital para comprar um apartamento compacto, esse tipo de investimento apresenta outra grande vantagem: a rentabilidade do aluguel é maior para imóveis pequenos.
Por conta da alta procura, o valor médio de aluguel dos apartamentos compactos é maior do que os de imóveis com metragens superiores.
Agora é com você, corretor!
Se você possui uma carteira de clientes bem organizada, o seu trabalho fica muito mais fácil. Isso porque você já sabe qual é o perfil do público que busca morar em apartamentos compactos.
Agora, basta identificá-los em sua carteira e apresentar a eles todos os benefícios de investir em um imóvel pequeno. Boas vendas!

quarta-feira, 4 de outubro de 2017

Festival de imóveis na Imobiliária Anderson Martins

Festival de Imóveis prontos para morar e lançamentos para investimentos na Praia da Costa, Itapoã e Itaparica, com condições especiais de pagamento em 120 meses para pagar, ou com recursos de financiamentos bancários pelos bancos do Brasil, Banestes, Bradesco, Santander, Itaú, Poupex em até 80 % do valor do imóvel.
Estudamos imóvel de menor valor 
Estudamos carro como parte de pagamento.
Alguns empreendimentos entregues com armários na cozinha, e banheiros, outros mobiliados.
Na compra de qualquer imóvel no mês de outubro na Imobiliária Anderson Martins você ganha bônus de R$1.500,00 ou TV SMART 32 polegadas, ou ar condicionado split.
Consulte um dos nossos consultores de investimentos e aprovamos o seu financiamento.
www.andersonmartins.com.br







domingo, 24 de setembro de 2017

Você sabe o que é uma casa inteligente?

Você sabe o que é uma casa inteligente?


Usar a sua digital para abrir a porta de casa, e não mais chaves. Programar para que as luzes da sala se acendam automaticamente no fim de tarde. Remotamente, a partir do aplicativo no smartphone, preparar a banheira com a temperatura exata.
Pode parecer filme de sessão da tarde ou desenho animado, mas já existe tecnologia suficiente para colocar a automação residencial em prática. Tanto é assim que o conceito de casa inteligente já ganhou força no mercado norte-americano.
É verdade que, no Brasil, essa opção ainda é restrita para pouco bolsos. Dependendo do tamanho do projeto, o custo para implementar a automação residencial pode variar entre 6 mil reais e 200 mil reais. Não é por menos que, segundo dados da Associação Brasileira de Automação Residencial e Predial (Aureside), menos de 1% das residências brasileiras são consideradas casas inteligentes.
Conceito de casa inteligente
Basicamente, podemos definir casa inteligente como um imóvel que reúne inúmeros dispositivos conectados à internet, desde geladeiras e smart TVs até sistemas inteligentes de iluminação e climatização. Aos poucos, diversos aparelhos passam a dialogar entre si. Essa integração traz mais praticidade e segurança aos moradores.
Numa tentativa de padronizar o termo, a Coldwell Banker, uma rede de franquias imobiliárias dos Estados Unidos, criou critérios para definir o que é, de fato, uma casa inteligente.  A residência precisa ter, no mínimo, dois dos seguintes itens: geladeiras, refrigeradores, smart TVs capazes de se conectarem à internet; além de sistemas inteligentes de alarme, irrigação, climatização e iluminação.
Enfim, investir na tecnologia da sua residência também é um fator que influencia direta e positivamente no valor do imóvel.
Corretor de imóveis: saia na frente
Um bom corretor de imóveis deve estar sempre atento às novas tendências do mercado. Nesse sentido, aproveite que o conceito de casa inteligente ainda não está popularizado no Brasil para sair na frente de seus concorrentes.
Se você se especializar no assunto, consegue mostrar detalhes que podem chamar a atenção de um comprador, sobretudo para imóveis de alto padrão. Quem sabe o seu cliente não fique encantado com a possibilidade de comprar uma casa inteligente e feche negócio com você rapidamente?
Mais do que isso, trabalhar com casas inteligentes faz com que você se posicione de forma diferente no mercado. Em outras palavras, os clientes passam a enxergar em você um profissional que capacitado para orientá-los no processo de modernização de uma residência.